sexta-feira, 24 de novembro de 2017

(Continuação 41)



Palacete da viscondessa de Santiago de Lobão

Este palacete situa-se na esquina da Rua dos Belos Ares com a Avenida da Boavista.
Casa apalaçada do final do século XIX, com jardim e estruturas adjacentes (casa do guarda, coreto, lago, moinhos de vento e estufa em ferro e vidro) datam do primeiro quartel do século XX.
O gradeamento em ferro fundido possui marcado nos elementos estruturais as palavras Fundição Arrábida. Nos elementos decorativos no espaço interior, como sejam os estuques, pintura de paredes e azulejos é patente o Movimento Arte Nova.
O terreno e jardim envolvente confronta nas traseiras com os jardins do ex-colégio “Maristas”.
Esta propriedade, incluindo a Casa foi legada ao Estado, por Maria Albertina Saraiva de Souza, Condessa de Santiago de Lobão, para fins de assistência a menores deficientes, não tendo os Lobão tido descendentes.
Em 1976 ocorre o início dos trabalhos (construção civil e instalações especiais), com aprovação do projecto relativo às "Obras de adaptação de creche e jardim infantil do prédio do Legado da Condessa de Lobão", pelo Ministro da Educação e Investigação Científica, desde que a coordenação ficasse a cargo da DGEMN (Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais).
Em tempos esteve previsto que a mata exótica envolvente à casa fosse possível visitar pela população, o que nunca viria a ocorrer. 
Até há cerca de dois anos atrás o palacete esteve ocupado pelos Serviços Jurídicos do Centro Distrital da Segurança Social e, presentemente, está desocupado.
Um serviço de apoio a crianças deficientes, cumprindo a vontade da doadora, continua a ser prestado no âmbito da Segurança Social, em edifício anexo ao palacete implantado em área recuada do jardim.
É a Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, representando o Estado, quem hoje é o proprietário do palacete e anexos.


Entrada do Palacete da viscondessa de S. Tiago do Lobão (Rua dos Belos Ares) – Fonte: Google maps

Coreto e Jardim do Palacete da viscondessa de S. Tiago do Lobão – Ed. SIPA

Sem comentários:

Enviar um comentário