segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

(Continuação 26)


Na sequência da construção do Mercado Municipal de Matosinhos, que o antecedeu, a Câmara Municipal do Porto contratou a empresa ARS Arquitectos, dos Arquitetos Fortunato Cabral, Cunha Leão e Morais Soares, para desenhar um novo mercado municipal para a cidade.
O edifício do mercado do Bom Sucesso foi projetado em 1949, as obras iniciaram-se em 1951 e a inauguração aconteceu no ano seguinte.
Foi construído sobre o «campo das caveiras», parte da antiga Quinta do Bom Sucesso, local onde o Sporting Clube de Vilar chegou a fazer jogos de futebol e o seu campo de treinos.
O nome Campo das Caveiras, foi atribuído em virtude da sua proximidade ao Cemitério de Agramonte, que então dali se vislumbrava, sendo utilizado pelos miúdos das proximidades para a realização de jogos de futebol.
O novo edifício seria marcado por uma concepção arquitetónica moderna, com estrutura em betão armado e uma inovadora cobertura abobadada rasgada por grandes envidraçados, permitindo uma boa iluminação natural de todo o espaço.
O edifício foi desenhado com três pisos, de forma a aproveitar o declive natural da área, sendo a sua periferia ocupada por lojas independentes. Outra particularidade do edifício original era a separação zonal do mercado, situando-se a peixaria num nível inferior de forma a permitir um melhor arejamento. No primeiro piso localizava-se ainda uma galeria (que em grande parte sobrevive, depois da remodelação terminada em 2013) que circundava todo o mercado e dava acesso a lojas independentes, como talhos e padarias.

“(…) a construção do edifício do novo mercado, com uma área de dez mil metros quadrados, 132 lojas e 760 bancas, foi adjudicada, por concurso público de 16 de Dezembro de 1951, à empresa de construção civil de Joaquim Ferreira dos Santos, sendo a obra orçada em cerca de dez mil contos. A sua inauguração realizou-se em 27 de Maio de 1952, no mesmo dia em que o Estádio das Antas foi também inaugurado, constituindo um duplo acontecimento na vida da Cidade Invicta.
O mercado, (…) adoptou como denominação um topónimo bastante enraizado na zona, proveniente da capela e da antiga Quinta de Nossa Senhora do Bom Sucesso, da qual apenas resta hoje em dia a primeira - esmagada pela vizinhança de um centro comercial - e a parede fronteira da respectiva casa de habitação. Edificadas na segunda metade do século XVIII por António de Almeida Saraiva, um abastado mercador que até então vivia em S. Domingos, a ele se deve igualmente a instalação, em 1748 - precisamente no terreno onde hoje em dia se encontra o mercado - de uma fonte, onde existia a seguinte lápide: "Esta fonte mandou a/ fazer à sua custa no/ ano de 1748 António/ d'Almeida Saraiva,/ Senhor desta Quinta/ cuja água dará ele/ e seus sucessores/ quando e na quantidade/ que muito lhes parecer/ 1748 - Nossa Senhora do Bom Sucesso".
No entanto, Eugénio Andrea da Cunha Freitas sugere que a capela parece ser anterior àquela data, em virtude da existência de um registo paroquial de Cedofeita, de 1704, que menciona "o lugar da Areosa, junto à Senhora do Bom Sucesso"”.
Com a devida vénia a José Manuel Lopes Cordeiro, In Jornal Público


Traseiras do Mercado do Bom Sucesso em 1952



Interior do mercado nos primeiros anos

Em 2011 foi classificado como imóvel de interesse patrimonial e Monumento de Interesse Público pelo Ministério da Cultura e Igespar.


“A nova remodelação do espaço do mercado orçada em 10 milhões de euros começou em Agosto de 2012 e, no dia 14 de Junho de 2013, o Bom Sucesso renovado abriu ao público, com 44 bancas no centro do espaço, 14 lojas nos corredores e 12 espaços dedicados à venda de produtos frescos, localizados por debaixo da zona de escritórios (este volume, construído no interior do emblemático edifício, acolhe a Fundação António da Mota).
Do outro lado do mercado foi construído um segundo volume onde se localiza o Hotel da Música, um investimento de 8 milhões de euros do grupo “Hoti Hotéis”, que conta com 85 quartos, o restaurante Bom Sucesso Gourmet – onde, para além da ementa habitual, o chefe confecciona o que os clientes comprarem no mercado”.
Fonte: pt.wikipedia.org

Sem comentários:

Enviar um comentário